O que é a governança de dados e por que ela é tão importante?

Para uma boa parte das empresas, o volume de dados gerados em transações e processos internos cresceu de maneira expressiva e continua em expansão. Não por acaso, a previsão é de que, até 2020, tenhamos 44 trilhões de gigabytes de informações disponíveis na rede, segundo o portal CIO.

Com esse aumento nos dados, tanto em termos de números como de importância, as empresas têm requisitado as áreas de TI com cada vez mais frequência, para que elas fiquem protegidas e possam usar essas informações visando aprimorar seus processos e ter acesso a insights de mercado.

Nesse processo, a fim de ganhar vantagens competitivas, é necessário ter organização e muita análise crítica e ficar atento às novas metodologias de proteção e backup de dados. Por isso, a governança de dados ganhou tanta relevância nas empresas.

Para entender a importância da governança de dados para os seus negócios e saber como implementá-la, acompanhe o que preparamos para você!

O que é governança de dados?

A governança de dados refere-se aos procedimentos para planejamento, supervisão e controle sobre o uso e gestão dos dados em uma organização. Ela pode ser entendida como um sistema de tomada de decisões capaz de descrever quem é responsável por qual dado, em que momento, usando quais métodos e em quais contextos.

Com esse sistema de gerenciamento de dados, você consegue:

  • aprimorar seus procedimentos de tomadas de decisão;
  • preservar as informações de parceiros, investidores e clientes;
  • melhorar processos;
  • reduzir custos;
  • ter mais transparência.

Como implementar a governança de dados? 

Um bom programa de governança de dados precisa contar, basicamente, com três pilares: um conselho, um conjunto de procedimentos bem definidos e um plano de execução. Afinal, as informações são recursos valiosos. Para supervisioná-las, protegê-las e analisá-las, você precisará de uma equipe capacitada, capaz de lidar com processos como:

  • gerenciamento de arquitetura de dados;
  • controle, manutenção e suporte ao dado;
  • gestão de segurança de dados;
  • gestão de dados mestre e referência;
  • gerenciamento de business intelligence, entre outros.

Todos esses processos requerem metodologias e ferramentas eficientes, como o Tableau, aplicado pela DataGO. Ele é capaz de oferecer confiabilidade e alinha-se aos requisitos de compliance das empresas, proporcionando segurança e recursos importantes para sua estratégia de negócios.

Quais são as etapas fundamentais da governança de dados?

Metodologias podem variar, mas alguns aspectos são essenciais. Na sequência, veja quais são os principais.

Captura de dados (discover)

É muito importante que você obtenha o maior número de detalhes sobre os dados armazenados por sua empresa, pois só é possível controlar os dados que nós conhecemos. Por isso, a governança de dados precisa incluir um processo que identifique e elimine dados redundantes ou desatualizados, otimizando, assim, o fluxo de informações.

Proteção e preservação

Você deve manter somente os dados que importam em seu data center e preservar as informações apenas pelo tempo em que elas forem necessárias. Dessa forma, você garante que seus procedimentos de segurança estejam focados no que realmente importa.

Extração de informações

Seus dados devem ser cuidadosamente analisados para serem compreendidos de maneira holística. Com isso, você pode extrair valores de dados offline e online e os classificar com o auxílio de meta-tagging, bem como processos de automatização de processos. Como já pontuamos, a organização é fundamental para você extrair todo o potencial dos dados que passam por sua empresa.

Disponibilidade

É impossível falar sobre governança de dados e não tocar nos preceitos estabelecidos pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Também é importante ficar atento para a Lei de Portabilidade e Responsabilidade de Provedores de Saúde (Health Insurance Portability and Accountability Act ou HIPAA) — a legislação sobre armazenamento de dados de saúde —, bem como para o MiFID II e o MiFIR, que regulamentam o gerenciamento de dados no mercado financeiro.

Seguindo essas diretrizes, você reduz riscos jurídicos e garante que sua empresa esteja em conformidade, de modo que ela possa negociar com outros mercados e garantir transparência aos seus clientes, parceiros e fornecedores.

A governança de dados é essencial para que as empresas gerenciem seus fluxos de informações e as utilizem para aprimorar suas estratégias. Nesse processo, o acompanhamento de profissionais capacitados, bem como de ferramentas seguras, é crucial para que os dados sejam protegidos e aproveitados da maneira correta.

E você, ainda tem dúvidas sobre governança de dados? Comente em nosso post! Suas questões podem virar pauta em nosso blog!

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.