Saiba o que é Big Data e como ele pode revolucionar seu negócio

Entra ano e sai ano, o Big Data sempre é colocado entre as grandes tendências tecnológicas e isso não é por acaso, pois a quantidade de dados produzidos em escala mundial vem crescendo exponencialmente. Apesar do sucesso, nem todo mundo realmente sabe o que é Big Data e quais são os benefícios que ele traz para as empresas.

A Netflix, por exemplo, tem nos dados sua principal fonte criativa e de tomada de decisão. Séries como Stranger Things, com referências dos anos 80, e House of Cards, que mostra os bastidores do jogo político, foram projetadas com base em análise de dados do público-alvo, obtidos nas mais variadas fontes, em especial as redes sociais.

Neste post, responderemos as principais questões que a maioria das pessoas têm sobre o Big Data, ressaltando a relação desse conceito com o mundo corporativo. Confira!

O que é o Big Data?

Podemos definir o Big Data como um grande volume de dados que cresce exponencialmente a cada dia e que são provenientes de múltiplas fontes. Podem ser estruturados ou não e são utilizados como fonte de insights para os mais diversos objetivos.

Com a estruturação das informações, os gestores podem entender melhor o mercado em que estão inseridos, descobrir as necessidades do público-alvo, criar produtos, fazer melhorias internas, entre outras coisas.

A DataGO, encontra bases de mercado e realiza esse processo para gerar os insights cruzando com as informações do cliente.

Quais são os 5 Vs do Big Data?

Quando falamos de Big Data, é impossível não pensar nos 5 “Vs” que dão base ao conceito. Veja a seguir o que cada “V” significa.

Volume

Quando falamos de Big Data, a primeira coisa que nos vem à mente é o volume de dados, que cresce sem parar. As ferramentas de Big Data devem ser capazes de encontrar padrões nesse volume e entregar informações úteis para a gestão.

Variedade

A produção de dados em escala não segue uma ordem ou estrutura, já que eles estão soltos nos mais diversos formatos e em diferentes banco de dados. Podem ser oriundos de redes sociais, dispositivos móveis, workstations, sensores, entre outros.

Sendo assim, os dados no Big Data podem ser classificados como:

  • estruturados — fazem parte de um banco de dados e estão organizados;
  • não estruturados — coletados em múltiplas fontes e não apresentam uma estrutura previamente estabelecida.

Velocidade

Os dados crescem com uma velocidade enorme, pois estão sendo produzidos ininterruptamente, por múltiplos dispositivos. Nós, seres humanos, com nossos smartphones, estamos produzindo dados o tempo todo, principalmente nas redes sociais. As empresas estão de olho nessas informações para direcionar produtos e serviços de acordo com os nossos anseios como consumidores.

Internamente, nas empresas, os computadores, sensores e outros objetos conectados, também produzem dados o tempo todo, em uma velocidade enorme, permitindo aos gestores emitirem relatórios em tempo real e fazerem mudanças na produção a qualquer momento, com base em informações sólidas.

Veracidade

Para entregar um valor real, os dados precisam ser verdadeiros, caso contrário, poderão prejudicar o fluxo produtivo. Por isso, a empresa deve sempre trabalhar com um conjunto de dados confiáveis e dentro da realidade corporativa.

Valor

Estruturar dados exige tempo e dinheiro, por isso, eles devem representar um valor real para a empresa, caso contrário, a análise se tornará apenas desperdício.

Quais são os benefícios do Big Data para as empresas?

Para você entender melhor como o Big Data pode ajudar no crescimento de sua empresa, vamos apresentar, neste tópico, as vantagens práticas de sua implementação. Acompanhe.

Agrega valor ao negócio

Com a análise dos dados, os processos internos poderão ser direcionados por meio de bases sólidas. Quando o gestor define indicadores para seguir e trabalha monitorando-os, toda a cadeia operacional dá um grande passo rumo às melhorias de qualidade.

Isso inclui desde atividades rotineiras de gestão até as estratégias mais robustas, que buscam a geração de receita e o crescimento.

Auxilia na redução de custos

Um dos principais desafios das empresas é a implementação de uma boa gestão de custos, principalmente com a transformação digital apresentando inúmeras ferramentas que potencializam a produtividade e requerem investimentos iniciais.

Um investimento mal avaliado pode causar um impacto negativo significativo, impedindo o investimento em inovações importantes para a empresa responder rapidamente às movimentações do mercado.

Com o Big Data, os gestores têm a oportunidade de utilizar a análise de dados para identificar os gargalos de produção e buscar as melhores ferramentas para resolver problemas pontuais. Com o investimento direcionado de maneira correta, a empresa passa a produzir mais com a mesma equipe, evitando desperdícios e gastos com retrabalho.

Minimize os riscos

Os problemas não chegam com hora marcada, não é mesmo? Mas se você tiver ferramentas que permitam antecipá-los, corrigindo a situação antes que virem uma bola de neve, haverá menos gargalos e paradas na produção.

Com o Big Data, os gestores podem fazer análises preditivas, identificando as principais ameaças e problemas que podem prejudicar um projeto. É possível também avaliar um produto em sua versão de testes, em tempo real, com dados referentes à satisfação dos clientes, podendo corrigir os problemas antes do lançamento da versão final.

Como colocar o Big Data em prática?

A técnica que permite aos profissionais cruzarem os dados e depois analisá-los é chamada de Big Data Analytics. Com ela, o gestor pode coletar, organizar, tratar e entender como essas informações se relacionam e assim colocá-las a serviço do negócio. Veja abaixo os principais tipos dados utilizados nas empresas.

Social data

São os dados coletados por meio das interações entre as pessoas, sendo utilizados para a identificação de comportamentos de grupos, para que empresa possa atuar de forma direcionada. As redes sociais oferecem uma fartura desse modelo de dados.

Enterprise data

Enterprise data, ou dados empresariais, como o próprio nome sugere, são aqueles gerados pelas empresas nos setores de RH, financeiro, qualidade, produção e assim por diante. São eles que permitem aos gestores identificar gargalos produtivos e dão insights para a melhoria contínua.

Data of things

São dados provenientes da internet das coisas, que vão desde informações de sensores e câmeras inteligentes até dados coletados de TVs, carros, geladeiras, máquinas de lavar, entre muitos outros. Inclusive, os radares colocados nas estradas se encaixam nesse modelo.

Esses dados podem ser utilizados para os mais diversos fins. Possibilitam, por exemplo, que os fabricantes de produtos eletrônicos monitorem, com a permissão do usuário, o funcionamento dos aparelhos. Assim é possível criar atualizações de softwares e melhorias de hardware nas próximas versões.

A aplicação do Big Data dependerá sempre do objetivo da empresa, do que ela deseja com a análise, sendo possível utilizar um ou todos os tipos de dados que citamos.

Esperamos que, com a leitura deste post, você tenha entendido melhor o que é Big Data. Como tudo no mundo da TI, o Big Data também está em constante evolução e requer, dos profissionais envolvidos, atualização constante para não perder nenhuma movimentação de mercado, nem o lançamento de novas ferramentas.

Quer dar o primeiro passo para se manter atualizado? Então, assine já a nossa newsletter e receba em primeira mão as nossas novidades sobre o mundo da tecnologia da informação.

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.